O Governo português lamenta a decisão das autoridades israelitas de expropriar 234 hectares de terra localizados na Cisjordânia. Esta medida constitui mais um obstáculo à viabilidade da solução dos dois Estados, que é a única via para a paz, segurança e estabilidade da região.

Nesse contexto, o Governo português apela ao Governo israelita para reconsiderar esta decisão, e reitera a necessidade de ambas as partes voltarem à mesa das negociações.

Por fim, manifesta a sua preocupação com a evolução da situação no terreno, e condena firmemente todos os ataques, bem como qualquer incitamento à violência.

Lisboa, 19 de março de 2016