O GovernpPortuguês expressa a sua extrema preocupação com a decisão do Governo israelita de autorizar a construção de 770 novas habitações no colonato de Gilo, em Jerusalém Oriental.

Este projeto de expansão constitui um sério impedimento à contiguidade entre Jerusalém Oriental e o resto da Cisjordânia, afetando, assim, a viabilidade da solução de dois Estados, e representando mais um obstáculo às perspetivas de paz e segurança para a região.

O Governo português apela a que as partes sigam as recentes recomendações do Quarteto, nomeadamente no que se refere à cessação da política de colonatos por parte de Israel.

Lisboa, 29 de julho de 2016