A Produção de Figurado em Barro de Estremoz foi hoje inscrita na Lista Representativa do Património Cultural Imaterial da Humanidade no decurso da 12.ª sessão do Comité do Património Cultural Imaterial, reunido em Jeju, na Coreia do Sul, de 4 a 9 de dezembro.

O saber-fazer associado ao Figurado em Barro de Estremoz constitui um tipo de produção manual praticado por cerca de uma dúzia de artesãos naquela localidade. São marcas identitárias deste elemento patrimonial da criação das tradicionais figuras em barro, o processo de modelação (placa, bola, rolo e o vestir da figura), as tipologias de modelos, e ainda o caráter estético, expresso em particular na sua viva policromia.

A elaboração da candidatura Produção de Figurado em Barro de Estremoz à Lista Representativa do Património Cultural Imaterial foi coordenada pelo Município de Estremoz, com o apoio da Direção Regional de Cultura do Alentejo e do Centro UNESCO para a Valorização e Salvaguarda do Boneco de Estremoz, bem como da Comissão Nacional da UNESCO que, como é habitual, prestou aconselhamento e efetuou a revisão do processo antes do seu envio à UNESCO.

Este é o sétimo elemento português inscrito nas Listas da Convenção da UNESCO para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial. Encontram-se inscritos na Lista Representativa do Património Cultural Imaterial o Fado, canção urbana popular de Portugal (2011), a Dieta Mediterrânica (2013), o Cante Alentejano, canto polifónico do Alentejo, sul de Portugal (2014) e a Falcoaria, património vivo da Humanidade (2016).

Encontram-se incluídos na Lista do Património Cultural Imaterial, e que necessitam de uma salvaguarda urgente, a Manufatura de chocalhos (2015) e o Processo de Confeção da Louça Preta de Bisalhães (2016).

Lisboa, 7 de dezembro de 2017