O governo português condena veementemente a violência que dura há vários dias na zona de Ghouta Oriental, perto da capital síria Damasco, que está a afetar de forma brutal a população civil, em particular mulheres e crianças. Os bombardeamentos levados a cabo pelas forças do regime de Bashar Al-Assad que estão a matar inocentes e a destruir indiscriminadamente infra-estruturas civis devem cessar imediatamente e deve ser prestada a necessária ajuda humanitária à população civil. 

Portugal manifesta a sua profunda solidariedade para com o povo sírio que é vítima de um conflito que dura há demasiado tempo. 

O governo português apela à contenção de todos os atores. Sublinhando que não há uma solução militar para o conflito sírio, o governo português pede a todas as partes que se comprometam de forma séria e empenhada no processo de diálogo de Genebra, sob os auspícios das Nações Unidas, por forma a encontrar-se uma solução pacífica e duradoura que traga a paz a todos os sírios.