O Governo Português vê com grande alarme a escalada da violência em Gaza e lamenta as dezenas de mortos e centenas de feridos ocorridos hoje, dia 14 de maio, que vêm acrescer ao já elevado número de vítimas registado no quadro dos protestos palestinianos das últimas semanas.

Portugal apela à contenção de todas as partes envolvidas, no sentido de pôr fim à violência. Sem colocar em causa o direito de autodefesa de Israel, o princípio da proporcionalidade no uso da força deve ser respeitado, assim como o direito a protestar pacificamente.

Estes trágicos eventos colocam em evidência, uma vez mais, a insustentabilidade da situação em Gaza e a urgência de criar condições para a retoma de negociações, visando uma solução que leve à criação de dois Estados, assente na coexistência, em paz e segurança, de Israel e da Palestina e que defina o estatuto final de Jerusalém.

Lisboa, 14 de maio 2018