O governo português toma nota do plano de paz divulgado pela administração norte-americana, que constitui uma oportunidade para o relançamento das negociações com vista à resolução do conflito israelo-palestiniano.

Portugal irá analisar a proposta, à luz da posição que temos defendido, em linha com a União Europeia, em conformidade com as resoluções das Nações Unidas e com o Direito Internacional aplicável.

Reiteramos o nosso compromisso com a solução de dois Estados, ambos dispondo das necessárias garantias de segurança e exercício de soberania e ambos com direito a ter Jerusalém como sua capital. Reiteramos também que a única forma de resolver o conflito israelo-palestiniano nos parece ser através de um acordo negociado entre as partes. Portugal reafirma a sua disponibilidade para contribuir para o processo de paz no Médio Oriente, no quadro da União Europeia e das Nações Unidas.

Lisboa, 29 de janeiro de 2020

  • Partilhe