O governo português tomou conhecimento com profundo pesar do falecimento hoje do sétimo Secretário Geral das Nações Unidas, Kofi Annan. Nesta triste ocasião, o governo português entende dever  evocar o longo, continuado e decisivo contributo de Kofi Annan para a paz e segurança mundiais.

Kofi Annan foi um infatigável defensor de  causas que nortearam a sua anterior ação enquanto diplomata do seu país, o Gana, e como funcionário da Organização das Nações Unidas, onde se distinguiu no desempenho de altos cargos. A luta pelo desenvolvimento, o combate ao HIV, à malária e à tuberculose, que o levaram a ser distinguido com o Prémio Nobel da paz em 2001, foram algumas das suas principais ações enquanto Secretário-Geral das Nações Unidas.

Portugal recorda muito especialmente a ação determinada e decisiva de Kofi Annan em prol da autodeterminação de Timor-Leste. Portugal relembrará Kofi Annan como um importante Secretário-Geral das Nações Unidas que exerceu o seu mandato num período de grandes transformações na ordem política internacional.