No quadro da longa, profunda e dinâmica Parceria Estratégica entre Portugal e os EUA, realizou-se hoje, 11 de setembro, em Washington, a 41ª reunião da Comissão Bilateral Permanente (CBP) entre Portugal e os Estados Unidos da América (EUA).

Presidida conjuntamente pelo Diretor-Geral de Política Externa, Embaixador Pedro Costa Pereira, e pela Deputy Assistant Secretary para a Europa Ocidental, Julie Fisher, a 41ª CBP integrou extensas delegações de ambos os lados, com destaque para o Embaixador de Portugal nos EUA, Domingos Fezas Vital e o Presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, bem como o Embaixador dos EUA em Portugal, George Glass.

Tratou-se de uma CBP com uma agenda positiva que espelha o excelente estado das relações bilaterais nos mais variados domínios e que aprofundou áreas concretas de convergência, tanto no plano do relacionamento bilateral como no campo mais vasto da agenda internacional, no quadro da qual Portugal e os EUA cooperam intensamente.

Neste contexto, foram analisados os resultados das várias visitas e dos inúmeros encontros realizados entre as partes aos diversos níveis desde a sua última reunião, que teve lugar em Lisboa em dezembro de 2018. Entre outros assuntos, a 41ª CBP debruçou-se sobre os progressos nos trabalhos da Comissão Laboral e da Comissão Técnica, tendo dedicado uma parte substancial das suas discussões à situação ambiental decorrente da presença militar dos EUA na Base das Lajes. As partes analisaram os significativos progressos verificados nos últimos anos em vários domínios relacionados com as Lajes e, no que respeita às questões ainda remanescentes, comprometeram-se a continuar a trabalhar em conjunto intensamente com vista a encontrar soluções apropriadas para a sua resolução.

A estreita cooperação entre Portugal e os EUA em matéria de segurança e defesa foi abundantemente tratada, tendo sido revistas as contribuições de ambos os Aliados para as missões e operações multinacionais, sobretudo no quadro da ONU e da OTAN. A 41ª CBP permitiu uma muito útil troca sobre os novos desafios globais a exemplo das ameaças na área da cibersegurança e híbridas.

Ambos os lados manifestaram o seu grande interesse no contínuo estreitamento e intensificação do relacionamento bilateral no setor energético e salientaram as oportunidades que o Porto de Sines proporciona aos dois países, designadamente no setor do Gás Natural Liquefeito. Situado na interceção das principais rotas atlânticas, entre os continentes europeu e americano, entre o Atlântico e o Mediterrâneo e entre a Europa e África, o Porto de Sines foi valorizado na sua centralidade enquanto hub para um comércio internacional que se pretende livre, justo e transparente.

No final dos trabalhos, foi aprovada uma Declaração Conjunta que espelha o diálogo positivo que marcou a 41ª CBP sobre este e outros assuntos e que está disponível em “https//www.portaldiplomatico.mne.gov.pt”.

  • Partilhe