A Secretária de Estado dos Negócios Estrageiros e da Cooperação, Teresa Ribeiro, iniciou, no dia 13 de março, uma visita oficial de cinco dias à Colômbia.

No primeiro dia da sua visita, Teresa Ribeiro encontrou-se com a sua homóloga, Patti Londoño, abordando, entre outros temas, a operacionalização do protocolo na área de turismo e a formação do novo Conselho Estratégico Portugal-Colômbia, áreas de cooperação formalizadas entre os dois países em Lisboa, por ocasião da visita a Portugal do Presidente colombiano, Juan Manuel Santos, em novembro de 2017.

SENEC Colombia

O Conselho Estratégico entre os dois países foi criado para reforço e alargamento das relações bilaterais, que Teresa Ribeiro disse, em entrevista à agência Lusa, pretender que ganhem "novo dinamismo".

As relações bilaterais "não se esgotam nos planos político e económico, pretende-se ampliar a outros setores: cultural, ensino, ciência e conhecimento", afirmou a governante.

Com a primeira reunião prevista para "julho deste ano", o Conselho Estratégico reunirá um conjunto de personalidades de Portugal e Colômbia, que terão "como missão dar o seu contributo para que o relacionamento entre os dois países possa ganhar novo dinamismo".

"Estamos em final de escolha das personalidades que integrarão o Conselho Estratégico. De um lado e de outro, serão pessoas de altíssimo nível, com percursos quer nos campos económico quer cultural e científico", disse.

Teresa Ribeiro assinalou que as personalidades "reunirão, farão as suas sugestões e identificarão as oportunidades num e noutro país, quer de desenvolvimento de novas atividades quer de identificação de obstáculos, que, de alguma forma, estejam a impedir uma maior fluidez na relação entre os dois países".

Outro dos assuntos mencionados na reunião foi o lançamento de um projeto de cultivo de cacau na Colômbia, a desenvolver durante 36 meses com investimento de 3,9 milhões de euros, que pretende contribuir para consolidar a paz através do desenvolvimento socioeconómico.

Este projeto será apoiado pelo Fundo Fiduciário da UE para a Colômbia e pela Cooperação Portuguesa e implementado pela ONGD portuguesa Instituto Marquês de Valle Flôr e pela Red Adelco, destinando-se à "mobilização dos pequenos agricultores para o cultivo de cacau, um cultivo ativo de um produto que tem ótimas condições de crescimento e expansão na Colômbia".

Contactada telefonicamente pela agência Lusa, Teresa Ribeiro referiu que "o projeto obedeceu a características muito particulares", assinalando que não só "se envolveram as comunidades locais, os pequenos agricultores", como as "autoridades locais, o Governo central (da Colômbia) e o setor privado".

A intenção foi a de que o projeto não se circunscrevesse a "uma atividade de mera subsistência", pelo que "era essencial assegurar a implicação dessas mesmas autoridades e o seu interesse no desenvolvimento" da iniciativa.

A governante realçou o envolvimento do setor privado, aludindo a duas empresas portuguesas que já operam na Colômbia há algum tempo: a Mota Engil, que "se ocupará da construção das vias secundárias que permitirão o escoamento do cacau", e a Grupo Jerónimo Martins, "a quem caberá absorver o cacau, para, depois, o introduzir no mercado".

"Estamos muito confiantes que possam ser replicados este projeto em outros pontos da Colômbia e que possa por essa via contribuir para o processo de paz", salientou.

Foram ainda discutidas possíveis novas áreas de cooperação entre dois países e temas multilaterais, designadamente a mobilidade de estudantes entre os dois países e o desenvolvimento de investigação conjunta nos campos das ciências e das tecnologias.